Concurso PF terá de banca divulgada em breve!

Dia 18 de maio de 2018 o protocolo do concurso PF teve 5 avanços significativos. O documento encontra-se, atualmente, na unidade Demandas de Expedição na CONAD-SGP/COAGE-SGP/SGP/Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão para análise pelo Coordenador-Geral de Gestão de Pessoas do Ministério da Justiça, José de Albuquerque Nogueira Filho. Isso significa que a banca escolhida está em fase de revisão de contrato e, se tudo estiver certo, será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias. 

Protocolo avança e banca PF fica perto

 

Distribuição das vagas

A Polícia Federal (Concurso PF) teve a distribuição das 500 vagas para o novo edital confirmadas no dia 17 de abril de 2018, durante uma reunião com o Diretor-Geral da PF e o Presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens. A distribuição ficou da seguinte forma:

  • Agente – 180 vagas;
  • Delegado – 150 vagas;
  • Escrivão – 80 vagas;
  • Perito – 60 vagas;
  • Papiloscopista – 30 vagas;

A previsão para a publicação do edital é no primeiro semestre deste ano.

Fenapef cobra mais vagas para o novo concurso PF

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e os sindicatos que representam a classe enviaram, na quinta-feira (29), ofício ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e ao diretor-geral da PF, Rogério Galloro, questionando a distribuição das vagas no concurso público previsto para este ano.

Em janeiro, a Federação entrou em contato com a diretoria-geral, ainda sob o comando de Fernando Segóvia, pedindo mais esclarecimentos sobre o cargo de escrivão, que não estaria contemplado no futuro certame. A diretoria informou na ocasião que aguardava a unificação dos cargos de escrivão e de agente, já que o pedido faz parte do plano de reestruturação da carreira.

Porém, desde a mudança na direção-geral da PF, em fevereiro deste ano, não houve andamento da solicitação. Mesmo que haja a junção dos cargos de escrivão e de agente na reestruturação, a Federação esclarece que vai lutar para que a vaga de escrivão da Polícia Federal seja incluída ainda neste concurso, já que existe deficiência no quantitativo do cargo.

Em fevereiro, após a posse de Raul Jungmann como ministro da Segurança Pública e o anúncio do concurso, os cargos foram distribuídos nas 500 vagas previstas, sendo 180 para agentes, 150 para delegados, 30 para papiloscopistas, 60 para peritos e 80 para escrivães.

“Pedimos que seja feita uma melhor adequação das vagas, com destaque para os cargos de escrivães, visando corrigir a distorção hoje existente”, comenta o presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens. No ofício, a entidade e os sindicatos pedem também explicações a respeito da reestruturação dos cargos dentro da PF.

A autorização para realização do concurso é resultado de uma intensa batalha travada pela Fenapef junto à direção-geral da Polícia Federal e às pastas do governo de Planejamento e, até então, da Justiça. A ideia é que as vagas sejam melhor distribuídas.

Reestruturação

A regulamentação da carreira policial é uma das principais bandeiras das entidades de classe que representam a PF. Entre os pontos de consenso entre as lideranças, está a necessidade de fixar, de forma taxativa, as atribuições de cada cargo. A negociação também é pelo reconhecimento legal de atribuições complexas realizadas pelos policiais federais e pela unificação dos cargos.

Fonte: Comunicação Fenapef

Protocolo orçamentário avança!

Mais um avanço no dia 02 de abril de 2018! O protocolo encontra-se na Divisão Geral de CONCURSOS PÚBLICOS. Esse protocolo refere-se a autorização orçamentária. Confira:

O concurso PF avança novamente e agora tem autorização para contratar a banca organizadora responsável pelo certame. O protocolo encontra-se na Demandas de Expedição na COAST-SGP/COAST-SGP/SGP/Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Confira:

Na data de 13 de março de 2018 ocorreu 3 movimentações no protocolo do Concurso PF. A previsão é que a autorização orçamentária e a distribuição de vagas seja publicada ainda essa semana. Confira o avanço:


Concurso PF teve mais uma movimentação na última quinta-feira, dia 01/03. A informação desse protocolo, com relação a última movimentação, é com relação a autorização orçamentária para a realização do concurso. Confira:

Ministro é autorizado a contratar 500 policiais federais

Concurso PF: Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, realizou uma entrevista nesta quarta-feira, dia 28/02. Durante a coletiva, ele afirmou que foi autorizado a contratar mil novos policiais federais e rodoviários federais, ou seja, 500 PRF’s e 500 PF’s.

“Entramos em contato com o Ministério do Planejamento e ficou definido que teremos zero contingenciamento dos recursos do ministério de Segurança Pública neste ano”, disse o ministro.

“Sobre a necessidade e urgência de reforçar recursos humanos, especialmente na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal, estamos autorizados a fazer concursos, com 500 novos agentes para a Polícia Federal e 500 novos agentes na Polícia Rodoviária Federal”, completou.

Jungmann fala sobre os concursos anunciados. Ele diz que eles serão realizados ainda em 2018 – quando especificamente ele ainda não pode informar.

Concurso PF tem nova movimentação depois de 6 meses!

O pedido para o concurso PF (Polícia Federal) teve mais uma movimentação dia 22/02/2018. Foi alterado o nível do pedido de acesso geral para restrito e o mesmo encontra-se na Divisão de Concursos Públicos. Confira na integra:

Concurso PF para policial de nível médio é aprovado por Michel Temer

O concurso PF já está a todo vapor com os  preparativos para o novo certame. O que ainda está segurando a publicação da seleção é a proposta da unificação das carreiras para os cargos de agente e escrivão feita pelo delegado Fernando Segóvia, diretor-geral da PF, que visa criar a carreira de policial de nível médio. A expectativa é que o novo concurso PF deste ano siga esse novo modelo. Segundo Luís Antônio Boudens, presidente da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), a expectativa é que o novo concurso seja para policial de nível médio.

‘Se o processo de reestruturação da PF andar de forma célere, com a Medida Provisória sendo publicada, o concurso deverá sair já com os novos formatos (carreira unificada de agente e escrivão). Entretanto, se a PF não conseguir a rapidez que pretende, a seleção deverá ser aberta com os moldes atuais, ou seja, 600 vagas distribuídas entre as funções de agente, delegado e perito”, informou.

A PF ainda corre para oficializar sua reestruturação que já foi aprovada pelo atual presidente, Michel Temer.


Diretor de Gestão de Pessoal da corporação confirma pressa em ter Medida Provisória publicada

Clyton Eustaquio Xavier confirmou a pressa da corporação para ter a Medida Provisória da unificação dos cargos publicada. A intenção é que seja publicada antes do início das eleições. Na reunião feita em janeiro deste ano, junto com os sindicalistas, o mesmo afirmou a ”necessidade de acelerar a análise das propostas para que sejam finalizadas as minutas das medidas provisórias antes de iniciar o processo eleitoral, aproveitando a sinalização dada por Michel Temer para aprovar a reestruturação da Polícia Federal e a criação de novos cargos”.


REESTRUTURAÇÃO DA PF: “GARANTIR DIREITOS DOS POLICIAIS É PRIORIDADE”, DESTACA BOUDENS

Entidades de classe da Polícia Federal deram continuidade à sequência de reuniões para tratar sobre a reestruturação do Órgão nesta quinta-feira (8). Representantes de todos os cargos se reuniram com a Direção-Geral da PF para discutir os pontos divergentes e aqueles que não têm sido bem recebidos pela Carreira. A necessidade de fixar, de forma taxativa, as atribuições de cada cargo é consenso entre as lideranças. Há um temor sobre o futuro de cada cargo e suas atribuições, caso o texto permita – por generalização ou obscuridade – uma interpretação particular de cada entidade sobre a nova legislação.

De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, a carreira aguarda uma sinalização da Direção-Geral acerca do reconhecimento legal de atribuições complexas realizadas pelos policiais federais e a unificação dos cargos de Agente e Escrivão. A entidade justifica que as medidas diminuiriam a burocracia interna na Polícia Federal e  alavancaria as ações inerentes à atividade-fim do órgão, como investigações, operações e fiscalizações diversas.

“Se o objetivo do projeto é a valorização do policial, a Direção-Geral precisa opinar em pontos que, para nós, são determinantes para a negociação, como a definição exata das atribuições dos cargos e o conceito de autoridade policial”, declarou. Segundo o presidente, que também é agente de polícia federal, “o cargo policial de nível médio é interesse da gestão e do Governo. Já para os policiais federais,  a prioridade nessa negociação é garantir direitos, obter a valorização sob todos os aspectos, definir as atribuições dos cargos e modernizar a PF”.

A agente federal Bibiana Orsi participou do encontro a convite da Fenapef e falou sobre a percepção dos colegas de Carreira acerca do projeto. “Se vamos oficializar um rol de atribuições dos policiais de nível médio, isso não pode ocorrer antes de definirmos as atribuições de cada cargo de nível superior que já existe. É necessário preservar a atividade investigativa, que é a essência do nosso trabalho”.

Além das atribuições dos policiais federais, foram discutidos temas que ainda geram conflitos entre as representações como a a criação de uma hierarquia entre os cargos; a nomenclatura a ser adotada para a  união de Agentes e Escrivães; e os impactos da reestruturação nas próximas negociações salariais.

Mudanças na negociação

Durante o encontro, ficaram acordadas mudanças na metodologia de negociação. Para dar celeridade aos debates, cada entidade deverá encaminhar suas sugestões até a sexta-feira (16.02.2018) para a Diretoria de Gestão de Pessoal, que poderá discutir diretamente com as categorias as questões trazidas. Havendo pontos divergentes, a DGP fará a mediação com as categorias interessadas em reunião fechada.

Fonte: Fenapef 


Entenda a unificação da carreira única na PF

Agentes, peritos, escrivãos, papiloscopistas e delegados podem integrar em breve uma mesma carreira da Polícia Federal. Está na pauta de votação da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 73/2013, que prevê a união das atividades no cargo de servidores policiais federais. o texto estabelece que servidores prestarão concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação.

O texto prevê também a possibilidade de crescimento dentro da carreira única, por meio de promoção e progressão funcional a serem estabelecidas em lei. A medida passaria a valer imediatamente à publicação da lei, atingindo inclusive os concursos públicos cujos editais forem publicados a partir da sua entrada em vigor, mas preservando os atuais servidores policiais federais que não optarem pelo reenquadramento na nova carreira única. A proposta tramita em conjunto com as PEC 102/2011PEC 40/2012PEC 19/2013 PEC 51/2013. O relator da matéria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), observou que, apesar de tratarem de temas conexos, os objetos não são idênticos: vão desde uma modificação completa do sistema de segurança pública até a reorganização administrativa da carreira da Polícia Federal. Diante disso, o senador optou por apresentar seu parecer apenas sobre o aspecto da unificação da carreira da Polícia Federal e apresentar requerimento para desapensamento da PEC 73/2013 das demais propostas, que seguem tramitando na Casa. Randolfe acrescenta que a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o FBI (Federal Bureau of Investigation) norte-americano e a própria Polícia Rodoviária Federal brasileira. O relator destaca ainda que, se unificada a carreira, o exercício dos cargos de direção, hoje praticamente restritos à carreira dos delegados, passará a ser provido por meio de funções comissionadas ou de processos seletivos internos. Randolfe informa que ainda será preciso regulamentar a situação dos atuais ocupantes dos cargos policiais federais, por meio de tabelas de reenquadramento, decisão que caberá privativamente ao Poder Executivo. Se aprovada na CCJ, a matéria segue para votação em dois turnos em Plenário. Fonte: Agência Senado


Concurso PF está autorizado e sairá este ano. Diretoria da Fenapef se pronuncia!

Concurseiros do meu coração, foi publicada uma nota de esclarecimento da Diretoria da Fenapef sobre as últimas notícias do concurso PF. O órgão havia confirmado a publicação do edital com 600 vagas, depois, foram excluídas as vagas para o cargo de escrivão. Confira: Sobre as recentes notícias acerca do concurso para Carreira Policial Federal, previsto para ocorrer em 2018, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) esclarece que:

1. Existe um projeto de reestruturação da Carreira, que inclui a unificação de cargos de agente e escrivão de Polícia Federal, em fase de discussão entre as entidades representativas, com o objetivo de alcançar de forma conjunta medidas de modernização da estrutura da PF, que beneficie todos os servidores.
2. O anúncio feito pela Direção-Geral da Polícia Federal de que o próximo certame não contemplará vagas para escrivão foi questionado pela Fenapef nesta quinta-feira (25).
3. A Direção-Geral informou que a comunicação do fato ocorreu na expectativa de que a unificação dos cargos seja viabilizada o mais rápido possível e com a aprovação dos policiais federais, uma vez que esse é um pleito dos próprios servidores.
4. A direção da PF justifica que a medida viabilizará uma melhor distribuição das vagas. A previsão da PF é que sejam 50 oportunidades para delegados, 45 para peritos e, inicialmente, 220 para agentes.
5. A Fenapef, no entanto, vai se reunir com a Direção da Polícia Federal para buscar vagas para os escrivães ainda neste concurso, pois há uma deficiência no quantitativo do cargo, que submete os atuais servidores a escalas e sobreavisos exaustivos. A situação se agrava em virtude do déficit de servidores do Plano Especial de Cargos, que desempenham as atividades administrativas.
6. A autorização para realização do concurso é resultado de uma intensa batalha travada pela Fenapef junto à Direção-Geral da Polícia Federal e às pastas do governo de Planejamento e Justiça.
7. A Fenapef vai continuar acompanhando todas as discussões e agendas referentes ao projeto de reestruturação e de realização do concurso para policial federal, com o intuito de contribuir para a construção de um ambiente interno favorável, que promova a valorização, equilíbrio e higidez do quadro funcional da PF.
Fonte: Diretoria da Fenapef

 Um novo concurso PF é autorizado

Lembrando que com o decreto 8.326, de 10 de outubro de 2014, o órgão não precisa mais de autorização por parte do MPOG para realizar novos concursos, necessitando apenas de um parecer do Diretor da Polícia Federal.

Previsão de distribuição das vagas e remuneração:

Cargos
Vagas
Remunerações
Agente
450
R$ 11.897,86
 Delegado
50
R$ 22.102,37
Perito
100
R$ 22.102,37

ARRECADAÇÃO DE INSCRIÇÕES PREVISTO NA LOA!

O concurso PF é uma urgência devido ao déficit de servidores. O certame está nas prioridades do novo diretor-geral e, para concretizar ainda mais essa prioridade, as diretrizes para a elaboração e execução da LOA (Lei Orçamentária de 2018) prevê arrecadação com inscrições para a realização do Concurso PF para agente, escrivães e delegados. Veja a imagem abaixo! Dia 17/10 houve mais uma movimentação do processo do concurso PF dentro do Ministério do Planejamento. Na última terça-feira houve reabertura do processo dentro da unidade Divisão de Concursos Públicos/CGCOM-SGP/DEPRO-SGP/SGP/Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Confira o protocolo:

Em agosto também foi movimentado o processo dentro do Ministério Do Planejamento. Na última quarta-feira, 23/08, foi registrada uma movimentação no processo, tendo alteração no seu nível, passou de nível de acesso geral para Restrito.  No último dia 28 de julho, o processo com o pedido de concurso para cargos da Polícia Federal foi reaberto na Coordenação de Documentação e Informação/ASTEC-GM/GM/Ministério do Planejamento. Desenvolvimento e Gestão, finalizando no Gabinete/SGP/Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão no mesmo dia.

Confira o protocolo atualizado:

TABELA DE SUBSÍDIOS PARA CARGOS DA CARREIRA POLICIAL FEDERAL

Confira os valores dos Subsídios dos Cargos de Agente de Polícia Federal, de Escrivão de Polícia Federal e de Papiloscopista Policial Federal: O subsídio inicial é de R$ 11.983,26, sendo que em 2019 aumenta para R$ 12.522,50, chegando a R$ 18.651,79 no topo da carreira. Há altura mínima, idade máxima, restrição a brasileiros naturalizados ou proibição de uso de tatuagens para o ingresso nos quadros da POLÍCIA FEDERAL? Existe restrição apenas quanto à idade, qual seja, ser maior de 18 (dezoito) anos e observar o limite estabelecido para a aposentadoria compulsória. Há vagas para pessoas com deficiência destinadas aos cargos da carreira policial da POLÍCIA FEDERAL? Sim, por decisão do Supremo Tribunal Federal serão reservadas vagas aos candidatos com deficiência nos concursos para os cargos policiais. Os candidatos com deficiência serão submetidos a todos os testes, avaliações e exames em igualdade de condições com os demais concorrentes do concurso. A POLÍCIA FEDERAL também disponibiliza vagas para pessoas com deficiência no quadro do Plano Especial de Cargos, carreira de apoio administrativo.

Provas Anteriores Polícia Federal (PF)

Agente de Polícia Federal – 2014

Prova

Gabarito Definitivo

Gabarito Definitivo

Escrivão de Polícia Federal – 2012

Caderno de prova

Gabarito Definitivo

Veja o cenário dos últimos meses

Foi divulgado no dia (21/05), uma nota à imprensa, em que o Governo aponta a redução da equipe na operação Lava Jato, além do corte de verbas previstas para o órgão da PF. O órgão pretende abrir 1.758 vagas no concurso PF.

Com todos estes novos casos de corrupção que surgem a cada dia, por meio da Lava Jato, e que devem continuar a surgir por meio das múltiplas delações premiadas, é questionado se a PF possui policiais suficientes para atender a tamanha demanda e se o atual Governo irá suprir a falta de pessoal na corporação. Mesmo com a expectativa do novo concurso para 1.758 vagas, a carência é muito maior. De acordo com dados apontados pelo presidente da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores, nos próximos anos, em decorrência de 400 aposentadorias previstas.

Processos para concurso avançam

Após meses sem novidades, o processo para a liberação de verbas para a realização dos certames do órgão voltou a avançar no MPOG (Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão).

No caso de Escrivão e Agente, o Ministério da Justiça deve encaminhar uma solicitação ao MPOG até o próximo dia 31 para a complementação de verbas, uma vez que o processo que tramita no Planejamento desde 2015, e que voltou a avançar, ainda tratava apenas das carreiras de Perito e Delegado. Este processo estava parado no MPOG desde junho de 2016, foi redistribuído para diversos setores do MPOG para análise, no último dia 19/05. Com o decreto 8.326, de 10/10 de 2014, o órgão não precisa mais de autorização por parte do MPOG para realizar novos concursos, necessitando apenas de um parecer do órgão sobre as condições financeiras para o preenchimento das vagas.

Remuneração

Agente e Escrivão: R$ 11.897, já incluindo auxílio-alimentação de R$ 458. Delegado: R$ 22.102,37.

Nível

Agente e Escrivão:

  • Superior completo em qualquer área;
  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação) categoria B ou superior;

Delegado:

  • Bacharelado em Direito, com experiência mínima de 3 anos em atividades jurídicas ou policiais.

Já para o cargo de Perito da PF, a formação exigida irá depender da área de atuação, que pode variar em até 18 categorias, que ainda não foram divulgadas.

~Ambos os cargos necessitam de carteira de habilitação na categoria “B” ou superior.~

O que faz um Delegado da PF?

As funções de um Delegado da PF são: instaurar e presidir procedimentos policiais de investigação, orientar e comandar a execução de investigações relacionadas com a prevenção e repressão de ilícitos penais, participar do planejamento de operações de segurança e investigações, supervisionar e executar missões de caráter sigiloso, participar da execução das medidas de segurança orgânica, bem como desempenhar outras atividades, semelhantes ou destinadas a apoiar o Órgão na consecução dos seus fins.

O que faz um Perito da PF?

As funções de um Perito da PF são: realizar exames periciais em locais de infração penal, realizar exames em instrumentos utilizados, ou presumivelmente utilizados, na prática de infrações penais, proceder pesquisas de interesse do serviço, coletar dados e informações necessários à complementação dos exames periciais, participar da execução das medidas de segurança orgânica e zelar pelo cumprimento das mesmas, desempenhar outras atividades que visem apoiar técnica e administrativamente as metas da Instituição Policial, bem como executar outras tarefas que lhe forem atribuídas.

Etapas do concurso – Perito PF

1. Prova Objetiva

  • Conhecimentos básicos (50 itens)
  • Conhecimentos específicos (70 itens)

2. Prova Discursiva Elaboração de texto narrativo, dissertativo e/ou descritivo, com, no máximo, 30 linhas. 3. Exame de aptidão física

  • Teste em barra fixa
  • Teste de impulsão horizontal
  • Teste de corrida de 12 (doze) minutos
  • Teste de natação (50 metros)

4. Exame médico

Aferir se o candidato goza de boa saúde física e psíquica para suportar os exercícios a que será submetido durante o Curso de Formação Profissional e para desempenhar as tarefas típicas da categoria funcional.

5. Avaliação psicológica

Aplicação e avaliação de baterias de testes e instrumentos psicológicos científicos, que permitem identificar a compatibilidade de aspectos psicológicos do candidato com as atribuições do cargo, visando verificar, entre outros:

  • Capacidade de concentração e atenção;
  • Tipos de raciocínio;
  • Controle emocional (emotividade, segurança, estabilidade emocional, extroversão, vulnerabilidade, entre outros);
  • Relacionamento interpessoal (confiança, altruísmo, ponderação, assertividade, complacência, entre outros);
  • Capacidade de memória;
  • Características de personalidade (senso de dever, autodisciplina, ordem, dinamismo, persistência, entre outros).

6. Avaliação de títulos

Etapas do concurso – Delegado PF

1. Prova Objetiva

  • 120 questões

2. Discursiva

A prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, aborda os objetos de avaliação de Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Constitucional e Direito Administrativo. É composta por duas partes:

  • 3 Questões dissertativas
  • Elaboração de peça profissional

3. Exame de aptidão física

  • Teste em barra fixa
  • Teste de impulsão horizontal
  • Teste de corrida de 12 (doze) minutos
  • Teste de natação (50 metros)

4. Exame médico 5. Avaliação psicológica

Aplicação e avaliação de baterias de testes e instrumentos psicológicos científicos, que permitem identificar a compatibilidade de aspectos psicológicos do candidato com as atribuições do cargo, visando verificar, entre outros:

  • Capacidade de concentração e atenção;
  • Tipos de raciocínio;
  • Controle emocional (emotividade, segurança, estabilidade emocional, extroversão, vulnerabilidade, entre outros);
  • Relacionamento interpessoal (confiança, altruísmo, ponderação, assertividade, complacência, entre outros);
  • Capacidade de memória;
  • Características de personalidade (senso de dever, autodisciplina, ordem, dinamismo, persistência, entre outros).

6. Avaliação de títulos 7. Prova oral 

  • Direito Penal
  • Direito Processual Penal
  • Direito Constitucional
  • Direito Administrativo

Concurso PF 2014

concurso_pf_linha_do_tempo_concursos_2014_alfacon O concurso PF 2014 ofertou 600 vagas para Agente de Polícia Federal. A remuneração inicial era de R$ 7.514,33 com exigência de nível superior. >> Edital PF 2014

O que faz um Agente da PF?

As funções de um Agente da PF são: executar investigações e operações policiais na prevenção e na repressão a ilícitos penais, dirigir veículos policiais, cumprir medidas de segurança orgânica, desempenhar outras atividades de natureza policial e administrativa, bem como executar outras tarefas que lhe forem atribuídas.

Concurso PF 2013

concurso_pf_linha_do_tempo_concursos_2013_alfacon O concurso PF 2013 ofertou 500 vagas imediatas divididas em 350 para Escrivão e 150 para Delegado. As remunerações eram de R$ 7.514,33 a R$ 14.037,11.

Concurso PF 2012

concurso_pf_linha_do_tempo_concursos_2012_alfacon

Os primeiros editais da PF 2012 foram publicados no início do ano e ofertaram 100 vagas para Papiloscopista e 500 para Agente da PF. Já no meio do ano saiu mais um edital da PF com 100 vagas para o cargo de Perito e 150 para Delegado.

Edital Delegado PF 2012  | Edital Perito PF 2012 | Edital Papiloscopista PF 2012 | Edital Agente da PF 2012

  Para mais informações sobre concursos, dicas e organização de estudos, acompanhe-nos nas redes sociais: